Os Elementos da Natureza e as Simbologias na Civilização Hispano-Árabe

79
Sigo mergulhada neste incrível livro sobre a antiga Civilização Hispano-árabe, que viveu na sul da Península Ibérica por 8 séculos. O que há de mais incrível é que o autor dedica todo um capítulo, com o sugestivo nome de “céu e terra”, a falar da medicina, da agricultura, do calendário e de várias formas do viver dessa civilização que – para minha surpresa e deleite- é totalmente calcada na a sabedoria dos astros, no princípio criativo do céu e receptivo da terra e principalmente nos elementos da natureza, éter, ar, fogo, água e terra, tão presentes nas formas de cura, seja com uso de ervas ou com uso de música! Neste capítulo, há textos incríveis sobre a medicina antiga deles calcadas nos elementos da natureza. Selecionei 2 parágrafos bastante significativos.

Simbologias & Terapias, da forma como eu trabalho com elas, têm a mesma abordagem qualitativa já que é calcada nesses mesmos elementos. Como aponta o autor no parágrafo da imagem 2  “O que importa são as qualidades inconfundíveis: de fogo, água, terra e ar. Elas formamos pilares angulares de uma ciência natural que não é quantitativa, mas sim qualitativa.” Exatamente essa “ciência” natural, ou sabedoria de vida emprega as qualidades inconfundíveis dos elementos e daí tem sempre um fio condutor que conecta vários níveis do ser e do viver de forma completa, total, holística.

Isto é, ao connhecer as qualidades de fogo, algumas delas por exemplo, calor e que calor seca a água, esses conceitos vão levando a localizar com precisão as ervas, a música, ou os hábitos alimentares que uma   pessoa com bio-tipo de fogo necessita.

Ademais as qualidades de fogo, exatamente como um fio condutor, nos leva imediatamente a entender as qualidades psíquicas de uma pessoa com esse bio-tipo. Alegre e expansiva por exemplo, já que sabemos que o calor produz expansão. Pense, ninguém fica com os músculos contraídos por causa de calor e sim por conta de frio. Então, calor relaxa, expande, incha inclusive. As qualidades de fogo estão presentes tanto no nível físico, mental, emocional e inclusive espiritual Então, parece que estes antigos árabes dominavam muito bem os elementos angulares e as qualidades derivadas destes.

Nesse parágrafo da imagem 3, quanta riqueza! Em poucas linhas o autor aponta exatamente o quanto sabiam das relações do céu com a terra, dos movimentos celestes e do crescimento vegetal e da relação espiritual derivada daí: Eles dizem: “Sobre tudo o fundo astronômico do calendário que tanto em conteúdo quanto em termos utilizados corresponde a sabedoria oriental”…..e vejam o que ele aponta a seguir….”que provavelmente esses conhecimentos sejam derivados da cosmologia dos nabeteus, um povo aparentado com os árabes que tinham um conhecimento muito extenso sobre as relações entre os movimentos celestes e o crescimento vegetal!” Ora, ora, conhecimentos celestes e sua relação com crescimento vegetal…isto também é astrologia, é exatamente astrologia daqueles tempos. E eles continuam indo mais fundo em uns princípios bem básicos tão exaltados hoje em dia…como o céu sendo o grande masculino provedor e a terra a grande receptora e criativa!!! E daí surge a espiritualidade fundamentada no prático! Céu e Terra. O fecundador e a fecundada trazendo frutos práticos para a vida humana! Daí céu, terra e agricultura serem a base do culto as divindades. Boniito!

E se não fosse o suficiente, neste mesmo parágrafo da imagem 2, logo no começo , na terceira linha encontro também a palavra árabe que dá origem (uma das possíveis versões da origem) de um dos meus sobrenomes! Albuquerque, originado com certeza na Espanha, também conhecido por Alburquerque com r, aparece logo no início do em relação aos albaricoques, palavra espanhola para árvore de damasco, e em árabe, al-barquq. É verdade que o autor não faz menção aqui de que al-burquq dá origem à Albuquerque. No entanto, eu já sabia disso, que Albuquerque vinha de Albaricoque só não conhecia a forma árabe original. Al barquq.

ELEMENTOS > A LINGUAGEM UNIVERSAL!

Os incríveis fios da História me conduziram de volta a temas que estou sempre envolvida…análise de nomes, astrologia, ayurveda.  A constatação de que inúmeras culturas fizeram uso dessa linguagem universal que são os elementos da natureza é de suprema importância neste século XXI, em que a globalização corre solta, mas as desavenças correm juntas. Uma linguagem que permita aos seres humanos de qualquer etnia, país ou localidade, se reconhecer e identificar seu bio-tipo poderá ser de grandíssima utilidade!

O capítulo todinho entra em detalhes sobre os métodos de cura e outros parágrafos serão comentados. Há detalhes da metodologia utilizada por eles, que são exatamente as mesmas encontradas no Ayurveda. Breve…comento…pois a leitura continua! Ollé!

Estou te escutando! Deixe seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: